Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Revistas > Edição 44 - Dezembro de 2009
Início do conteúdo da página

Edição 44 - Dezembro de 2009

Publicado: Quinta, 17 de Novembro de 2016, 11h34 | Última atualização em Terça, 17 de Janeiro de 2017, 13h12 | Acessos: 188

Nossos Meios RBC RevDez2009 RBC44

CAPA: Publicação em braille do Acervo Bibliográfico Especializado do IBC — Foto: Claudio Vilardo

SEÇÕES:

EXPEDIENTE

EDITORIAL

SAIU NA IMPRENSA

AGENDA

ARTIGOS:

O Sistema Braille Como Patrimônio Imaterial: Uma Proposta

Autor: Ana Fátima Berquó Carneiro Ferreira

Resumo: Atualmente existe uma discussão sobre a pouca utilização do Braille pelas pessoas cegas, e muitos defendem que esta situação se deve ao aparecimento dos livros sonoros e de toda a tecnologia ligada à informática. O presente texto traz como proposta o registro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) do Sistema Braille como patrimônio imaterial, isto porque reconhecemos e buscamos a valorização deste bem.

O Uso de Brincadeiras Populares Adaptadas á Deficiência Múltipla: Um Enfoque Pedagógico

Autor: Kelem Fabiana Gubolin Zapparoli

Resumo: Pretende-se mostrar aqui a importância do brincar no desenvolvimento da criança com deficiência múltipla, considerando a brincadeira popular - adaptada às possibilidades destas crianças - como um instrumento pedagógico capaz de desempenhar tal função. Evidenciam-se as contribuições das teorias de Vygotsky, Piaget e Wallon seguindo os princípios do Modelo Ecológico Funcional.


Análise Contrastiva da Compreensão de Metáforas Visuais por Escolares de Ensino Fundamental Cegos Congênitos e Não-Cegos

Autor: João Ricardo Melo Figueiredo

Resumo: O presente trabalho relata uma pesquisa de campo, baseada no princípio de mesclagem da lingüística cognitiva, realizada com alunos cegos congênitos e não-cegos dos últimos anos do Ensino Fundamental no Rio de Janeiro, a fim de investigar a compreensão de metáforas visuais por estes alunos. Os resultados mostram que os alunos cegos conseguem produzir sentenças metafóricas ligadas ao sentido da visão, mas não realizam as projeções mentais necessárias para o entendimento destas construções.

Fim do conteúdo da página