Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Instituto Benjamin Constant recebe o Ministro da Educação
Início do conteúdo da página
Notícias

Instituto Benjamin Constant recebe o Ministro da Educação

Durante a visita, o ministro José Mendonça Bezerra Filho reiterou o compromisso em resolver as questões financeiras e institucionais do IBC já encaminhadas ao MEC.

  • Publicado: Sexta, 24 de Novembro de 2017, 15h07
  • Última atualização em Sexta, 24 de Novembro de 2017, 16h37
imagem sem descrição.

 

 O deputado federal, Otávio Leite, a  secretária executiva do Ministério, Maria Helena Guimarães de Castro, e o presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), Kleber de Melo Morais, fizeram parte da comitiva do ministro.  Eles foram recepcionados pelo diretor-geral João Ricardo Melo Figueiredo, e pela chefe de gabinete do Instituto,  Érica Deslandes Magno Oliveira, que os levaram a um tour pelas dependências da Instituição.  

O diretor do Departamento de Educação, Paulo Augusto Rodrigues, mostrou aos visitantes as salas de aulas, chegando a entrar em uma delas.  Eles  cumprimentaram  os alunos que assistiam à aula de geografia da professora Luciana Arruda e, depois,  seguiram para o setor de atendimento médico.  Lá, eles  ouviram o relato do chefe da Divisão de Pesquisa e Atendimento Médico, Odontológico e Nutricional, o médico Rogério Neurauter, sobre a organização do setor e da importância que o Programa de Residência Médica tem para os estudantes de medicina e a população em geral do estado do Rio de Janeiro.

A última parada foi na Imprensa Braille, onde puderam conhecer o parque gráfico do Instituto em operação, com as explicações da chefe do Departamento Técnico-Especializado, Ana Luíza Mello de Araújo, sobre a produção de livros em braille para todo o Brasil e outros países.

Depois da visita, todos seguiram para o Teatro Benjamin Constant, onde foram saudados pelas crianças do 1º e 2º anos do ensino fundamental, que fizeram uma apresentação musical acompanhadas dos professores Fernando Guillón e Cláudia Santana. 

No seu discurso, o diretor-geral do IBC  ressaltou a boa receptividade da atual equipe do MEC para com a pretensão do Instituto em ampliar sua atuação.  " O ministério sinalizou que entende essa angústia do IBC no momento em que autorizou o início do processo de alteração de suas competências",  explicou o diretor, referindo-se à criação do Departamento de Pós-Graduação e Pesquisa.  "Para isso se concretizar, falta apenas a mudança do decreto que fixa as competências do Instituto em tramitação no Ministério da Educação", completou o diretor, fazendo um apelo ao ministro para que assinasse o documento o mais rapidamente possível. 

Já o deputado federal Otávio Leite iniciou sua fala com os números do último censo demográfico, segundo o qual existem hoje no Brasil cerca 6,5 milhões de brasileiros com algum tipo de deficiência visual, 600 mil deles com cegueira total.   Em seguida, ele ressaltou o papel do IBC para a inclusão, através da educação, desses cidadãos, seja como escola especializada, seja como centro referência nos estudos relacionados à cegueira e baixa visão. 

O deputado aproveitou a oportunidade para chamar a representante dos pais e responsáveis dos alunos,  Darcy Siqueira, que entregou ao ministro um documento pedindo a extensão da atuação do Instituto Benjamin Constant através da oferta de ensino médio e tecnológica.  O ministro recebeu o documento e disse que a reivindicação dos pais conta com o seu total apoio e que se esforçará para atendê-la ainda em 2018. 

Segundo Mendonça Filho,  o objetivo de sua  visita era exatamente ratificar o compromisso do MEC com o Instituto.  Nesse compromisso está incluída a resolução, de uma vez por todas,  do impasse que vem prejudicando o Programa de Residência Médica e, consequentemente, o atendimento oftalmológico prestado pela Instituição à população.  "O presidente da EBSERH, professor Kléber Morais está aqui e já estabeleceu um canal de comunicação com a área de oftalmologia do IBC na busca da formalização de uma cooperação técnica para contratação dos profissionais necessários para que o serviço prestado volte a funcionar como deveria", informou.

O ministro anunciou também a liberação de R$ 1.114.502,00, correspondentes a aproximadamente 90% dos recursos de custeio que estavam contingenciados.  

Para o diretor-geral do IBC, a vinda do ministro significa que o trabalho que a gestão vem fazendo para dar maior visibilidade às ações institucionais têm dado resultado e que as perspectivas para os próximos anos são bastante animadoras.  "Para sermos mais efetivos, precisamos ampliar nossos horizontes e acho que estamos na direção certa", concluiu João Ricardo.

registrado em:
Fim do conteúdo da página