Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Exibição de curta-metragem audiodescrito movimenta a tarde no IBC
Início do conteúdo da página
Notícias

Exibição de curta-metragem audiodescrito movimenta a tarde no IBC

Sessão contou com a presença do diretor do filme

  • Publicado: Quinta, 19 de Maio de 2016, 21h00
  • Última atualização em Quinta, 06 de Julho de 2017, 10h44

 Alunos do ensino fundamental e reabilitandos do IBC fizeram um programa diferente, na quarta-feira passada, dia 18. Eles trocaram a sala de aula pelo teatro do Instituto, onde foi exibido o curta metragem Quando o Universo Conspira, do diretor fluminense Caio Bortolotti.

O filme, realizado em 2008, foi adaptado para participar no mês passado do III Festival Verouvindo, de filmes com audiodescrição do Recife, recebendo a primeira colocação do júri popular e a terceira do júri técnico. O roteiro audiodescrito foi feito pela professora do Instituto Benjamin Constant, Ana Fátima Berquó e aprovado pelas crianças e adolescentes que assistiram ao filme.

O curta mostra, em 15 minutos, as sucessivas tentativas de um adolescente tímido para conquistar uma garota, com a ajuda de quatro personagens inusitados em uma história de amor: o Tempo, o Vento, a Chuva, a Música, além de um anjo que desce à Terra a mando de Deus para saber o que estava acontecendo.

“Achei muito engraçada aquela parte em que o Música pede para o anjo ir até o Céu para trazer Santo Antônio para ajudar no namoro”, contou o aluno Tales, de 12 anos. “Adorei o filme. Achei muito romântico”, disse a colega Tatiane Cristina, de 10 anos, que disse sempre se emocionar com histórias de amor. Já para a aluna Juliana, 15 anos, a audiodescrição tornou possível para o cego curtir mais televisão e cinema. “ Pois é, a gente não enxerga, como é que vai saber o que está acontecendo só com os atores falando? Achei excelente a iniciativa”, completou.

Em seguida, os alunos tiveram a oportunidade de conversar com o diretor do filme, presente à sessão. Fizeram perguntas sobre o processo de produção, compartilharam suas impressões e, o principal: disseram que, graças à audiodescrição aproveitaram integralmente o filme.

“Estar aqui, exibindo meu filme para uma plateia tão especial e vendo o quanto eles curtiram, foi muito gratificante e me deixou emocionado”, disse Caio, que também é repórter do Programa Especial, da TV Brasil, pioneiro em exibir reportagens audiodescritas no País.

A consultora de audiodescrição do filme, Aparecida Pereira Leite, que também atua como voluntária na Comissão de Audiodescrição do Instituto, elogiou o trabalho da professora Ana Fátima. “Ela é uma roteirista fantástica e domina as técnicas de audiodescrição. Com isso, ela consegue fazer com que o cego entenda o que está acontecendo na tela ao mesmo tempo respeitando integralmente a obra do diretor”, disse.

A exibição do curta foi a primeira programação da Sessão Tarde com a Gente, que a Divisão de Atividades Culturais e de Lazer (DAL) criou para proporcionar um contato dos alunos com as tecnologias de audiodescrição. Segundo o chefe da Divisão, Eunício Laina Soares, a intenção é promover outras sessões de cinema. “Não há ainda uma periodicidade definida, mas a DAL pretende a partir de agora conseguir novos filmes desse tipo. Estamos, por exemplo, tentando conseguir trazer, no mês que vem, o documentário premiado do diretor Geneton Moraes Neto, Boa Noite Solidão, para apresentar em mais uma sessão lá no teatro”, completou ele.

curta metragem 02450px
O diretor Caio Bortolotti conversa com os alunos sobre o filme
registrado em:
Assunto(s): Inclusão
Fim do conteúdo da página