Essa pagina depende do javascript para abrir, favor habilitar o javascript do seu browser! Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > IBC retoma revisão dos livros do PNLD em braille/tinta
Início do conteúdo da página
Notícias

IBC retoma revisão dos livros do PNLD em braille/tinta

Desde  o ano passado que o Programa Nacional do Livro Didático do MEC vem produzindo exemplares com letras em tinta aplicadas sobre o braille para que pais e professores possam ajudar nas atividades escolares dos alunos cegos.

  • Publicado: Terça, 14 de Abril de 2020, 15h20
  • Última atualização em Terça, 14 de Abril de 2020, 15h35

 

De acordo com o diretor-geral do IBC, João Ricardo Melo Figueiredo, a decisão de retomar a revisão dos livros foi tomada por causa da demora da normalização das atividades no estado do Rio de Janeiro e pela necessidade de garantir que o aluno cego possa ter seu material avaliado pelo Instituto.  

O Departamento Técnico Especializado (DTE) está adaptando a rotina de trabalho para que os profissionais da Imprensa Braille possam executá-lo remotamente, de suas próprias casas. “A avaliação vai seguir os parâmetros estabelecidos anteriormente, sem modificações, havendo apenas mudanças na logística de organização dos serviços, evitando assim que o andamento do PNLD deste ano seja muito prejudicado por causa da quarentena”, explicou João.

As editoras responsáveis pela produção dos livros deverão carregar no Sistema Integrado de Monitoramento Execução e Controle do Ministério da Educação (Simec) todos os arquivos do texto em braile (TXT compatíveis com o braille fácil) e PDF (da tinta que é impressa sobre o braile) para serem acessados pelos transcritores do IBC; já os revisores cegos precisarão receber, em suas casas, a versão física dos livros em braille para que possam fazer a avaliação tátil das páginas selecionadas. 

“Como o trabalho de avaliação é feito em duplas formadas por um profissional vidente e outro cego, é fundamental que todo esse material seja disponibilizado pelas editoras o mais rapidamente possível”, explicou o diretor do DTE, Jefferson Moura.  Ele passou todo o dia de hoje organizando a logística necessária para que a avaliação das obras comece assim que tanto os arquivos eletrônicos quanto os livros físicos estiverem disponíveis às equipes de avaliação do Instituto.

Até o início da quarentena, o IBC havia avaliado cerca de 25% dos livros do PNLD em braille/tinta.

Para saber mais sobre esta modalidade do PNLD voltado aos alunos cegos, clique aqui.

registrado em:
Fim do conteúdo da página