Essa pagina depende do javascript para abrir, favor habilitar o javascript do seu browser! Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Galeria de Diretores-Gerais > Diretores-Gerais > Érica Deslandes Magno Oliveira
Início do conteúdo da página

Érica Deslandes Magno Oliveira

Publicado: Sábado, 05 de Setembro de 2020, 22h35 | Última atualização em Quinta, 10 de Setembro de 2020, 11h09 | Acessos: 103

Nasceu no Rio de Janeiro, em 17 de novembro de 1959, filha do servidor estadual Moysés Magno Lima e da professora Paula Deslandes Lima.   Formou-se em Nutrição pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) no ano de 1982, ingressando no IBC como nutricionista em 1985, indo trabalhar na coordenação de nutrição, que chegou a chefiar por sete anos.

Em 2002, ano de eleição para diretor-geral, foi procurada por um grupo de servidores que viam nela as características para ser uma boa gestora.  A ideia, rejeitada no início, foi ganhando corpo com o crescimento do apoio da comunidade acadêmica.  Assim, ela decidiu aceitar o desafio, candidatando-se ao cargo, vencendo os outros dois candidatos — os professores Antônio Menescal Conde e Maria Salete Semitela de Alvarenga — com 63,5% dos votos e fazendo história: tomou posse em janeiro de 2003 como a primeira mulher, servidora técnico–administrativa de nível do quadro efetivo do próprio IBC, a ser eleita diretora-geral da Instituição (as outras três diretoras-gerais anteriores haviam sido designadas pelo MEC para a função).

Na eleição de 2006, se candidatou a reeleição, obtendo 75% dos votos válidos, contra 19% dos votos para o seu concorrente, o  professor Carmelino de Souza Vieira, tomando posse no dia 7 de janeiro de 2007.

Os oito anos de  Érica Deslandes Oliveira como diretora-geral do Instituto Benjamin Constant,  foram marcados pela realização de grandes obras físicas dentro e fora do prédio, como:

  • reforma de expansão da rede elétrica do IBC;
  • troca das divisórias por gesso acartonado das salas de aula dos alunos e cursistas como também em outros espaços da administração;
  • reformas nos banheiros e salas dos postos de trabalho;
  • reforma do telhado;
  • construção do ginásio poliesportivo;
  • reforma da pista de atletismo e campo de futebol;
  • reestruturação de todo o prédio da Imprensa Braille, inclusive com a construção do 2º andar;
  • reconstrução do estúdio de gravação;
  • criação do espaço para o Programa de Educação Alternativo-PREA;
  • criação da brinquedoteca;
  • reforma do teatro do IBC;
  • reforma da praça dos ledores;
  • reforma do miniauditório (sala 251);
  • reforma do prédio da educação física;
  • reforma e modernização do centro cirúrgico;
  • ampliação e modernização da farmácia;
  • criação da Oficina de Cerâmica;
  • criação do Centro de Formação em Terapias Alternativas- CTA para atendimento ao curso de Massoterapia;
  • criação da Sala de Maquetes;
  • alocação da exposição permanente “Célula ao Alcance da Mão” doada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG);
  • aquisição de 3 carros e 2 ônibus e
  • aquisição de mobiliários e equipamentos.

No ano de 2009, o IBC daria um passo importante para dar maior alcance às suas ações de capacitação na área da deficiência visual, com o lançamento do seu primeiro curso à distância: " Alfabetização através do Sistema Braille" — curso piloto, pioneiro, acessível aos deficientes visuais, realizado no Laboratório de Educação à Distância (LED/IBC), através da Plataforma Interagir, disponibilizada pela UFF .

fachada restaurada IBCMerece destaque o trabalho de restauração da fachada do prédio principal do IBC retornando-a à pintura original, na cor ocre, e recolocando o gradil na área externa do IBC, conforme o projeto original que faz da sede do Instituto uma das joias do patrimônio histórico e arquitetônico brasileiro. O visual externo do IBC foi completado com o plantio de 14 palmeiras imperiais e a iluminação a vapor de mercúrio. 

O quadro de servidores também recebeu reforços com a realização de concurso público para contratação de 15 professores e 17 servidores técnico-administrativos.

Ou seja: em 2004, IBC chegou aos seus 150 de fundação em pleno movimento de renovação de sua estrutura física e também de seu quadro de servidores.  Toda essa trajetória foi mostrada na edição do Livro 150 Anos do IBC, lançado em 2007, fechando com chave do ouro o trabalho da Comissão Memória, criada em 2003 para organizar os eventos comemorativos ao sesquicentenário do Instituto.  

Em 2010,  Érica Deslandes Magno Oliveira recebeu, pelo IBC,  o título de Personalidade Educacional 2010, na categoria instituição, conferido pelo jornal  Folha Dirigida, pela Associação Brasileira de Educação (ABE) e pela Associação Brasileira de Imprensa (ABI), eleita pela população do estado do Rio de Janeiro, como reconhecimento público do trabalho desenvolvido.

Ao final do 2º mandato, Érica conseguiu fazer sua sucessora, Maria Odete Santos Duarte, colaborando com a nova gestão como assessora da Direção-Geral (17/1/2011–17/9/2012) e diretora do Departamento de Planejamento e Administração.  Viria também ser chamada a colaborar na gestão do professor João Ricardo Melo Figueiredo como chefe de gabinete nos dois mandatos dele, mesmo depois de aposentada a partir de 2017.

 

 

 

 

Referências:

IBC. Relatórios de gestão de 2003 a 2010 – disponíveis em < http://www.ibc.gov.br/acesso-a-informacao/processo-de-contas-anuais>.  

 

Fim do conteúdo da página