Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Notícias

Alunos do IBC visitam o Aquário Marinho do Rio de Janeiro

A visita, realizada na manhã de ontem (20), teve como objetivo testar as condições de acessibilidade para os estudantes e demais pessoas com deficiência visual.  

  • Publicado: Terça, 21 de Maio de 2019, 13h03
  • Última atualização em Terça, 21 de Maio de 2019, 16h43
  • Acessos: 524
imagem sem descrição.

 

aquario5No dia 19 de fevereiro, a Comissão de Acessibilidade do IBC havia estado no local para avaliar as necessidades de adequação do espaço de visitação às pessoas cegas e com baixa visão (foto à esquerda do prof. Vitor Alberto da Silva Marques).  As considerações dos membros da Comissão farão parte do relatório que será enviado à direção do AquaRio. 

"O apoio do IBC tem sido fundamental para a construção participativa das visitas mediadas e para o AquaRio não ser um local somente acessível, mas sim inclusivo para todos os públicos”, disse a educadora do Aquário, Karin Oliveira.

Karin aproveitou para divulgar o lançamento do programa Sentir para Amar, especialmente voltado para as pessoas com deficiência visual, no próximo dia 9 de junho, às 8h30.  "O Programa já existe e é realizado bimestralmente, com temas que remetem à vida marinha, mas faltava um atendimento especial às pessoas que não enxergam", completou. 

 

Uma experiência diferente

aquario4Os alunos da turma 701 do IBC tiveram o privilégio de ser os primeiros visitantes a participar da visita mediada para pessoas com deficiência visual.  Eles  foram os escolhidos dentre os demais do Instituto porque o estudo dos seres vivos é exatamente a temática da disciplina de ciências para o 7º ano.  Eles tiveram não só contato com réplicas de alguns animais como também puderam manipular alguns exemplares reais, como carapaça de lagosta, caranguejo, ouriço e estrela do mar,  conchas de moluscos e ovo de tubarão.  

O sentido da audição também foi explorado, pois eles puderam também ouvir o som que é emitido pelas baleias. Já aqueles com baixa visão puderam ver diversos tipos deaquario3 animais marinhos, como o polvo, que fez o maior sucesso entre a garotada.

aquario1"A visita foi muito enriquecedora, pois além do aprendizado, proporcionou aos alunos uma inserção social e provocou a instituição a pensar maneiras de tonar a exposição acessível a todos. Ao final, os alunos relataram que gostaram da visita e do empenho das educadoras, mas apontaram a necessidade de ter informações em braille e audiodescrição dos aquários", disse a professora Naiara que acompanhou os alunos,  juntamente com a professora Talita Nilander e o inspetor de alunos Marcelo Bizerra.

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página