Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Notícias

Alunos do IBC vivenciam a prática do jornalismo esportivo no jogo Brasil x Sérvia

Eles assistiram à  transmissão ao vivo da partida, do próprio Instituto, para mais de 350 municípios brasileiros.

  • Publicado: Quinta, 28 de Junho de 2018, 10h26
  • Última atualização em Sexta, 29 de Junho de 2018, 07h46
  • Acessos: 447
Plateia do Teatro Benjamin Constant bastante cheia de crianças e adultos de frente para o palco, com bandeirinhas do Brasil nas mãos.  No palco, cinco homens de camisetas amarelas, sentados lado a lado a uma mesa retangular virada para o público. Do lado esquerdo deles, um telão em que aparece imagem de uma partida de futebol.
Cerca de 100 pessoas, entre servidores, alunos, reabilitandos, pais e acompanhantes participaram da primeira transmissão radiofônica ao vivo de uma partida de futebol feita em uma dependência do Instituto.

 

Foi como uma volta aos antigos programas de rádio brasileiros da década de 1950, realizados em grandes teatros e acompanhados por uma plateia animada.  O rebuliço para fazer funcionar a estrutura necessária para a transmissão do jogo, montada na véspera, começou por volta do meio-dia, com a chegada da equipe das rádios Globo e CBN - técnicos de som, jornalistas, repórteres cinematográficos e produtores.  Rapidamente, o palco do Teatro Benjamin Constant se transformou num grande estúdio, com a mesa a ser ocupada pelos profissionais das emissoras montada no palco, dividindo o espaço com o telão instalado para que os acompanhantes videntes dos cegos e as pessoas com baixa visão pudessem acompanhar a partida, com o suporte  visual se somando à narração radiofônica. 

Às 14 horas foi a abertura da programação, com direito à saudação do diretor-geral do IBC, João Ricardo Figueiredo, que agradeceu a iniciativa das emissoras em proporcionar uma experiência tão rara aos alunos da escola.  A gerente de Marketing da Rádio Globo, Lívia La-Gatta, retribuiu o agradecimento, dizendo que a razão de o Instituto ter sido escolhido para sediar a transmissão foi o fato de abrigar um público que valoriza como nenhum outro o rádio como veículo de comunicação. O narrador do jogo, Luís Penido também cumprimentou a plateia, dizendo estar não só feliz como emocionado por narrar um jogo da Copa do Mundo para uma plateia formada por ouvintes de qualidade  que tanto costumam prestigiar o trabalho dos radialistas brasileiros.

Além de Penido, a equipe responsável pela transmissão do jogo foi formada pelo apresentador do canal Infoglobo, Maurício Bastos, que atuou da sede do canal; pelos repórteres Marco Vasconcelos e Gustavo Henrique; pela dupla de comentaristas da Rádio Globo Dé Aranha e Heraldo Leite, único a falar da Rússia; mais o comentarista convidado Marcos Lima. Cego e ex-aluno do IBC, onde realizou todo o ensino correspondente ao atual Fundamental, Marcos é jornalista formado e dono do canal Histórias de Cego, do You Tube e costuma ser convocado para integrar o time de comentaristas esportivos da emissora. "Fui atleta de fubebol de 5 do IBC, sempre gostei de futebol, de modo que estar aqui, participando da transmissão de um jogo como este é uma grande emoção para mim", disse.

Marcos Lima foi um dos dois profissionais de comunicação cegos e com fortes ligações com o IBC e, coincidentemente, com o mesmo nome, presentes ao evento: o produtor Marcos Rangel, dos programas Redação Globo e Vai na Fé também assistiu à transmissão do jogo no Teatro Benjamin Constant.  Além de ex-aluno, Rangel foi professor de Informática do IBC e aproveitou o ensejo para trocar uma palavrinha com os alunos, estimulando-os a perseverarem na conquista de seus sonhos.  

Para os alunos, a emoção que o evento proporcionou não foi menor do que a experimentada pelos profissionais envolvidos na sua realização.  O reabilitando José Amaral foi o primeiro a chegar, ansioso com a possibilidade de se encontrar com o comentarista Dé Aranha, de quem é fã há muito tempo.  A pontualidade foi premiada, pois o comentarista também chegou antes de todos, podendo conversar calmamente com o fã.  Ao final do encontro, José se disse realizado. "Independentemente do resultado deste jogo, para mim já valeu a pena ter vindo", concluiu.

A aluna do 9º ano do Ensino Fundamental Laís Manhães Barcelos é outra que provavelmente vai guardar na memória o dia de ontem.  Ela impressionou os profissionais das rádios com conhecimento que tinha de cada um dos membros da equipe, reconhecendo-os pela voz e pelos bordões.  Chegou a dar entrevistas aos repórteres que estavam fazendo a cobertura do evento e a gravar uma mensagem para o locutor Hugo Lago, que estava transmitindo o  jogo da Argentina no estúdio da Rádio Globo.  Ele esperou uma brecha na programação para entrar em contato com os colegas que estavam no IBC e dizer que havia ficado emocionado com a fala de Laís.

O jogo

Com bandeirinhas na mãe e fôlego para gritar e torcer pela seleção brasileira, os alunos do IBC fizeram uma verdadeira festa.  Cada lance perigoso ou cada oportunidade perdida de gol mereceu a manifestação da plateia que esbanjou animação.  E não foi só a garotada a fazer barulho: os servidores e funcionários terceirizados presentes se juntaram à barulhenta torcida, com destaque para o pessoal da copa, que responsáveis pelo suco e pipoca servidos no intervalo, sofriam e vibravam com os demais.

Enfim, a primeira transmissão ao vivo e em rede de um jogo de futebol reallizado dentro das instalações do Instituto vai ficar para a história. Foi um programa completo, com direito a final feliz: a vitória que deu o passaporte à seleção brasileira para as oitavas de final.

 

Fim do conteúdo da página