Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Notícias

Projeto traz o conto “Clara dos Anjos” para debate nos 130 anos da abolição da escravatura

A obra do escritor Lima Barreto foi a escolhida para o debate do Projeto Quarta Com..., na última quarta-feira (6). 

  • Publicado: Sábado, 09 de Junho de 2018, 09h29
  • Última atualização em Sábado, 29 de Setembro de 2018, 21h24
  • Acessos: 525

Links relacionados:

imagem sem descrição.

O bibliotecário Jásper Teodoro da Silva Ferreira, do IBC, fez um resumo do romance aos alunos da segunda fase do ensino fundamental e servidores presentes ao encontro, realizado no auditório Maestro Francisco Gurgulino de Souza. 

O livro, publicado em 1922 - mesmo ano do falecimento do autor- é carregado de detalhes e críticas à desigualdade social dos anos de 1920.  Ele conta a história de Clara, uma moça mulata e pobre, que luta para sobreviver na preconceituosa e racista cidade do  Rio de Janeiros da época, depos de ter sido seduzida e abandonada, grávida, por Cassi Jones, um rapaz branco e mau-caráter. Segundo Jásper, o realismo crítico de Lima Barreto está presente em todas as suas obras, com destaque para O Triste Fim de Policarpo Quaresma, Os Bruzundangas,  Nova Califórnia, entre outras jóias da literatura brasileira.

Negro, filho de escravos, Lima Barreto sabia muito bem da realidade que retratava em seus livros.  Ele viveu no Rio de Janeiro retratado em Clara dos Anjos e, mesmo com todo o preconceito que sua condição humilde lhe impôs, conseguiu se incluir na sociedade com o apoio do Visconde de Ouro Preto que reconheceu seu talento precoce e proporcionou-lhe uma boa educação - estudou no Colégio Pedro II e engenharia, na Escola Politécnica, curso que abandonou para trabalhar e ajudar a família.  Mas conseguiu bons empregos, trabalhando na Secretaria do Ministério da Guerra, além de escrever para vários jornais e revistas da capital.  Consumido pelo alcoolismo e pela depressão, foi várias vezes internado em hospitais psiquiátricos, até morrer, aos 41 anos de idade.

Após a apresentação do enredo, houve um espaço de discussão no qual os participantes puderam refletir sobre os fatos narrados à luz da realidade atual, comparando a a sociedade carioca da República Velha e a atual, dando depoimentos e expressando suas opiniões sobre o assunto. 

A próxima edição do Projeto Quarta Com.. será no dia 15 de agosto.  Aproveitaremos o Dia do Folclore, comemorado no dia 5, para conversarmos sobre o livro Macunaíma, do escritor modernista, Mário de Andrade.  

registrado em:
Assunto(s): Quarta com... , DED , DAL , IBC , Lima Barreto
Fim do conteúdo da página