Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Notícias

IBC capacita professores para alunos com baixa visão e no uso do braille

Cursos de julho recebem professores de todas as regiões do Brasil.

  • Publicado: Quinta, 13 de Julho de 2017, 19h37
  • Última atualização em Sexta, 14 de Julho de 2017, 16h24
  • Acessos: 1607

Links relacionados:

Descrição da imagem: sala de aula. Professora Geni de Abreu posa para a foto sentada à mesa, tendo 13 mulheres e um homem atrás de si.
Professora Geni de Abreu com 14 dos 18 alunos do Curso de Técnica de Leitura e Escrita no Sistema Braille, oferecido pela Divisão de Capacitação de Recursos Humanos do IBC (DCRH).

A primeira capacitação do mês foi a de Baixa Visão, realizada entre os dias 3 e 7,  ministrada pelos professores João Ricardo Melo Figueiredo, diretor-geral do IBC, e Maria Rita Campello Rodrigues.  O curso, de 40 horas/aula, teve 24 participantes e tratou do desenvolvimento, a alfabetização,  escolaridade e reabilitação da pessoa com baixa visão. Foram apresentados os recursos ópticos e não-ópticos, as necessidades didáticas e pedagógicas, a estratégia da ampliação e o uso da informática na educação dos alunos com baixa visão.

No momento, está sendo oferecido o Curso de Técnica de Leitura e Escrita no Sistema Braille, que vai até o próximo dia 21.   O conteúdo, dado pela  professora Geni Pinto de Abreu em 80 horas de aulas práticas e teóricas, contempla a  identificação e representação dos caracteres braille, a simbologia matemática e a transcrição de textos. Dentre os 18 alunos participantes, estão professores com as mais diferentes formações e vindos de vários estados do Brasil, como Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo,Pernambuco, Rondônia, Distrito Federal, entre outros.  

Chimenia  Lochi (RJ) é formada em Belas Artes e trabalha na área de acessibilidade em museus há mais de 10 anos. Pretende, com a capacitação, ter mais autonomia para produzir textos descritivos, explicativos, de localização e de orientação dentro de seus projetos de inclusão de pessoas com deficiência visual em museus; a professora Angela Tavares de Lima Reis (PE), que trabalha como apoio de alunos em sala de aula inclusiva, nos municípios de Cabo de Santo Agostinho e Escada, busca aperfeiçoamento para dar todo o suporte para dois alunos que já assiste; já a professora do município de São Paulo (SP), Rosemeire Lopes da Paixão, percebia uma carência na sua formação em educação especial, que era o domínio da leitura e escrita braille e tem procurado corrigir esse problema através das capacitações oferecidas pela Divisão de Capacitação. Ela já participou de quatro outros cursos no IBC e destacou a qualidade e a seriedade do trabalho desenvolvido pelo Instituto.

A professora Márcia Cristina Vieira Sales, de Porto Velho (RO), que está cedida para a Assembleia Legislativa de Rondônia (ALERO), pretende atuar como multiplicadora dos conhecimentos adquiridos, promovendo  cursos de braille para os colegas que atendem pessoas com deficiência visual, como professores de salas de recursos, professores da rede, acadêmicos de magistério e pedagogia e pais. Já Heraldo Henrique de Carvalho dos Anjos é professor de ciências, em sala de recursos em Taquatinga (DF). Concluindo curso de mestrado, com foco na inclusão educacional, Heraldo disse que, além dos conteúdos repassados contribuírem para um "olhar diferenciado" sobre o aluno com deficiência visual,  o curso do IBC tem proporcionado a troca de experiência com os colegas e a descoberta de realidades diferentes daquela da cidade onde atua. " Pelo menos 25 alunos se beneficiarão com a capacitação que estou recebendo", comentou.

 

 

registrado em:
Assunto(s): IBC , DCRH , DTE , curso braille
Fim do conteúdo da página